Poster Logan
Poster Logan (Wolverine 3)

Informações básicas:

– Título: Logan (e por incrível que pareça, nossa tradução poupou esse!).

– Tema: Ação/Aventura, Drama, “Road Movie”, realmente não sei rotular essa obra de arte.

– Diretor: James Mangold.

– Roteiristas: James Mangold; Michael Green; Scott Frank.

– Atores: Hugh Jackman (Logan/Wolverine); Patrick Stewart (Charles Xavier); Dafne Keen (Laura/X-23); Boyd Holbrook (Donald Pierce); Stephen Merchant (Caliban); Elizabeth Rodriguez (Gabriela); Richard E. Grant (Dr. Zander Rice).

– Ano: 2017.

Um filme que eu posso dizer, logo de cara, é ótimo, mas tem minúsculas falhas (afinal, ninguém é perfeito, e mesmo a Marvel e a Fox podem errar, e feio às vezes). Sem mais delongas, segue abaixo a sinopse da obra, e em seguida prometo não dar spoiler algum:

Sinopse:

“Em 2029, Logan (Hugh Jackman) ganha a vida como chofer de limousine para cuidar do nonagenário Charles Xavier (Patrick Stewart). Debilitado fisicamente e esgotado emocionalmente, ele é procurado por Gabriela (Elizabeth Rodriguez), uma mexicana que precisa da ajuda do ex-X-Men para defender a pequena Laura Kinney / X-23 (Dafne Keen). Ao mesmo tempo em que se recusa a voltar à ativa, Logan é perseguido pelo mercenário Donald Pierce (Boyd Holbrook), interessado na menina.”

Opinião (de tudo um pouco)

Trama e Roteiro:

Podemos dizer trama é bem concisa e relativamente fiel às HQ’s de “Velho Logan”, a história segue um ritmo balanceado que lembra bem um gráfico cardíaco, com seus pontos de pico de ação frenética (que justificam o filme ser qualificado com censura para maiores de 18 anos) e curvas de drama e apreensão que são angustiantemente boas; chega a ser um tanto quanto frustrante ver no início a falta de vigor do protagonista (Logan/Wolverine), mas é recompensante ver uma “última evolução” do personagem (sendo interpretado por Hugh Jackman ao menos) durante o filme.

O roteiro é bem definido levando-se em conta que a história segue um rumo bem linear (mas ainda que levemente previsível, é bem cativante), e tem nos seus ápices uma emoção que só quem acompanhou essa saga de 17 anos, interpretada por Hugh Jackman, consegue sentir e entender.

Logan

Fotografia e Ambientação:

Eis aqui o único ponto que vejo como levemente negativo, tanto os jogos de câmera quanto os ambientes utilizados para as filmagens são ótimos (obviamente falando no quesito de fidelidade às HQ’s), mas algo que me incomodou bastante durante algumas cenas de diálogo (principalmente as que ocorrem em locais abertos) foi o desfoque exagerado nos planos de fundo, o que te força a olhar somente aos personagens conversando ou sofrer lacrimejando tentando ver um pouco da paisagem. Porém nas sequências de ação, esse mesmo desfoque faz com que você se sinta mais imerso ao calor das lutas e do sangue voando pela tela, o que é mais intensificado ainda pela paleta de tons amarelados utilizada nesses momentos.

Já no quesito de ambientação, o cenário proposto e a forma como foi utilizado (em maioria nos períodos de tarde e noturno) são geniais. Nessa “road trip” em que o longa ocorre, com todo o cenário hostil e desolador acercando os nossos “heróis”, as cores mais acinzentadas dominam a tela (dignas de um dia de densa penumbra), passando um clima de inquietação e apreensão, notados até mesmo no rosto de nosso protagonista.

Logan

Trilha sonora:

Sobre a trilha sonora, notei que foi escolhida com bastante cautela, assim como as dos trailers. Mas em contraste a esses as cenas do filme não possuíam músicas que “cantavam” a situação (assim como Hurt de Johnny Cash, no primeiro trailer do filme) até porque ali existe o enredo para isso. No entanto as trilhas empolgantes nas cenas que precedem os conflitos, que por sua vez procediam de momentos em que o silêncio e a filmagem falavam por si só durante os dramas, seriam laçadas com maestria se não fosse pela ausência de outro ponto que considerei negativo: a falta de “road songs”, que em certas sequências caberiam muito bem. Talvez até alternariam um pouco o clima do filme, dando um ar a quem acompanha toda essa trama apreensivo do que pode ocorrer ao final.

Considerações Finais:

Enfim, considerando os efeitos gráficos sensacionais (até porque acredite ou não, os rostos de Logan e da Laura são feitos em CGI), a trilha de dar inveja (apesar de sua ausência em certos momentos, que torço pra que seja proposital) e o enredo que interliga essa saga com maestria, o que a Marvel e a Fox nos entregaram não foi somente um filme tão aguardado, mas com certeza uma obra de arte que encerra com chave de ouro o legado deixado por Hugh Jackman como o eterno Wolverine de nossa geração. Se ainda não assistiu, vá assistir agora!